No nosso quarto dia nas ilhas da Tailândia, partimos rumo à Phi Phi Island. Como eu disse no post anterior, acabamos fechando o passeio e o transfer para Phi Phi por uma agência que ficava em Railay Beach, ao invés de fecharmos pelo próprio hotel, o Rayavadee. Isso porquê os preços do hotel eram/são impraticáveis se comparados aos preços das agências que fazem esse serviço por fora. Lembrando que não nos locomovemos de long tail boat por lá – aqueles barcos de madeira, compridos, parecidos com as gôndolas, só que de motor – porque, além de demorar muito mais, eu enjôo e sou medrosa. Então, tanto os passeios, como o transfer de Railay Beach para Phi Phi, foram de speed boat. A viagem durou cerca de 50 minutos até o nosso hotel, o Zeavola.

Gente, aqui eu começo, salvo engano, a primeira reclamação de toda a (curta) história desse blog: o Zeavola. Tanto nas dezenas de blogs que pesquisei, como no booking.com, hoteis.com e tripadvisor, o Zeavola era tido como o melhor hotel da região de Phi Phi, sem exceção. Mas a nossa experiência por lá não foi das melhores. Éramos três casais e todos tivemos a mesmíssima opinião, principalmente, levando em consideração que tínhamos vindo do melhor hotel de todos (já tô repetitiva, né? mas é verdade, rs). Os quartos eram ok, a água do banheiro era salgada, a piscina era ruim (pequeníssima e sem bar :O) e o serviço era péssimo. A localização também não era das melhores, já que para irmos à Phi Phi Town tínhamos que ir de speed boat ou long tail boat. O que acabou inviabilizando a nossa ida à cidade à noite, pois tínhamos medo de enfrentar o mar, embora relativamente calmo, naquela escuridão. O ponto forte do hotel? A comida, essa sim, maravilhosa! Não vou ser injusta, né?

No dia seguinte fizemos um passeio de speed boat, mas, dessa vez, pelas ilhas de Phi Phi Island: Maya Bay, Viking Cave, Bamboo Island e Mosquito Island. Não fomos à Yong Ka Sen Bay (Praia dos Macacos), pois a maré estava cheia e eles estariam escondidos (uma pena!). E, mais uma vez, fechamos o passeio por fora do hotel, com um barqueiro, ali mesmo, na beira da praia, na noite anterior. Tivemos um medinho se, realmente, o barqueiro estaria lá na hora marcada do dia seguinte (as 6h da manhã), mas deu tudo certo: ele estava, pontualmente, lá. Nós é que nos atrasamos um tiquinho. E lá vamos nós…!

6:00 AM de saída pras ilhas
6:00 AM de saída pras ilhas
A felicidade de estar na Tailândia
A felicidade de estar na Tailândia

 

Como chegamos cedinho, a praia ainda estava vazia. Mas é questão de minutos para a praia lotar de gente, principalmente de chineses. Por esse motivo, a dica é acordar cedinho e ir primeiro para Maya Bay (onde foi filmado o filme estrelado por Leonardo DiCaprio, A Praia), a praia mais disputada da região.

 

Maya Bay

<3
<3
DSC_0629 2
A praia
alertatsunami
Alerta de evacuação em todos os cantos
DSC_0661 2
A caminho do Mirante de Maya Bay
Os long tail boat: cartão postal das ilhas tailandesas
Nosso speed boat
Bamboo Island

 

Tiramos tantas fotos em Maya Bay, tida como uma das praias mais bonitas do mundo, que optamos por curtir as outras praias e deixar as paisagens registradas apenas na memória. <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *