Restaurantes em Madrid

Restaurantes em Madrid

@ Por Patrícia, Gastronomia, Viagens, Vinhos

A dica de Madrid vai ficar por conta de dois restaurantes maravilhosos que conheci nessa minha última passagem pela cidade. Pensando sobre o que escrever, concluí que Madrid foi a única cidade, até agora, que não fui mais de uma vez em um restaurante, pois tenho o hábito de, sempre, retornar: o ambiente se torna familiar e a comida com um toque de nostalgia.

No primeiro dia fomos almoçar em um restaurante que, pesquisando no TripAdvisor, tinha tudo a ver com o que queríamos: estava pertinho do nosso hotel, numa região super gostosa, com mesas na calçada e famoso por servir as melhores paellas da cidade. Vamos ou Bora?

Ler mais “Restaurantes em Madrid”

Vinhajando

Vinhajando

@ Por Alcimor, Cultura, Filosofia, Vinhos

Em um outro texto tratei da viagem no tempo que se oculta por detrás de toda viagem no espaço. Pois nesse texto tratarei da viagem no espaço oculta por detrás de cada gole de vinho. Sendo menos reducionista, talvez: viagem pressuposta à experiência decorrente da ritualística do tomar vinho. No rótulo um apertado resumo do roteiro da viagem; na rolha indícios da qualidade da experiência sensorial e cultural que nos aguarda; na cor o contato visual com a paisagem na qual seremos desafiados pelas idiossincrasias do lugar-terroir; no aroma o potencial de acesso imediato às técnicas utilizadas na produção, ao tipo de solo daquele destino de nossa viagem, à história daquele povo que fez e faz o vinho assim ou assado por conta disso ou daquilo e à peculiaridade daquele, ainda mais específico, lugar-terroir (a propriedade e o produtor); no sabor o ápice da experiência, com a confirmação, positiva ou negativa, das projeções que se iniciavam mais genericamente no roteiro constante do rótulo e que se afunilavam até o aroma. Bem, viajar sozinho é reduzir à uma fração mínima o potencial da experiência e, como viagem que é, viajar no vinho é sempre melhor quando se a realiza em grupo, compartilhando os momentos com uma ou mais pessoas. Boa Vinhagem!

 

In vino veritas

In vino veritas

@ Por Alcimor, Cultura, Vinhos

O vinho não é chave para acessar apenas a porta dos prazeres. Para além do aspecto hedonista (jamais diria “meramente” hedonista, pois isso não é, em si, pouco!), para além deste seu aspecto hedonista, o vinho funciona como chave para as portas da cultura e da história. E há mais: é desafio para os sentidos – que podem ser contemplados pelo já mencionado hedonismo – oferecendo grandes oportunidades para que procedamos à um esforço intelectual de decifre de suas características organolépticas, vinculando-as com as técnicas utilizadas em sua produção e com as circunstâncias históricas e geográficas de onde provém. Por tudo isso é que imagino encaixar-se, o tema “vinho”, perfeitamente, no contexto dos compartilhamentos de experiências a que procederemos neste espaço. In vino veritas.

paty